Liberdade do Brasil

setembro 10, 2019

Leopoldina - Uma vida pela Independência

 

“Dona Leopoldina ficou perplexa. Esse foi o sinal para o começo. De repente ela sabia que tinha esperado todo o tempo por algo, e agora essa espera tinha terminado. José Bonifácio e todos os que estavam a seu lado certamente haveriam de colaborar com ela e com dom Pedro na obtenção da liberdade tão desejada para o país. E dom Pedro? Também ele não poderia agir de modo diferente, pois a sua missão era a mesma que a dela.
 
Quando Leopoldina viu que os visitantes aguardavam uma resposta, sem mais demora disse que outro não era o ideal de dom Pedro e dela também, senão a grandeza e a liberdade do Brasil. A estas palavras José Bonifácio curvou-se respeitosamente, e sorridente agradeceu essa demonstração de benevolência da parte da princesa real, porquanto não eram palavras vazias.
 
Ao dizer essas palavras, encarou-a e sentiu como se a conhecesse de longo tempo.”



Leia Também

Força

janeiro 21, 2021

Postal com ilustrações de cocos e frase: "(...) a força advém unicamente do espírito! O vigor, do corpo!" - Na Luz da Verdade – Mensagem do Graal - Abdruschin


Abdruschin, Na Luz da Verdade – Mensagem do Graal

Leia Mais
Confiança e convicção

janeiro 19, 2021

Interior de cânions típicos do deserto

 
"'Moisés escuta: o povo te acreditará, se tua própria fé for invencível’, disse o príncipe serenamente. ‘Dúvidas e medo são acompanhantes perigosos. Põe, em lugar deles, a confiança e a convicção, então terás aliados poderosos! Quem tiver de cumprir uma missão, a esse abrem-se concomitantemente as fontes da força e do saber!'"

Roselis von Sass, Sabá, o País das Mil Fragrâncias

Leia Mais
Lições de aranha

janeiro 16, 2021

Gotas de orvalho formando uma teia

A pequena aranha tece, com zelo de artesã, ponto por ponto sua teia. Lança os fios translúcidos de um extremo a outro, trabalhando por horas e horas até obter um magnífico resultado. Sob a luz do sol, vislumbra-se a perfeição da obra desse minúsculo ser. Mas eis que virá o vento, a chuva ou um passante desatento, para pôr fim à completude da obra, destruindo a teia. Como reagirá, então, a aranha?

Leia Mais