Relançamento

Outubro 13, 2012


"Quando a Estrela Lunar se apagar, nosso mundo também se apagará!", alerta a profecia.

Como uma serpente que coloca seu pescoço ameaçador para fora das águas do mar, os forasteiros Syphax e Tus disseminam a mentira tal qual veneno sobre a Atlântida, desmentindo a gravidade da profecia e semeando a dúvida: seria realmente necessário deixar a Atlântida? Seria verdadeira a profecia sobre o afundamento do país dos dragões alados no mar? Por que abandonar a pátria com tanta pressa?

Syphax não foi expulso pelo rei Witu e agora a princesa Brunhild apaixona-se perdidamente pelo forasteiro.

Gurnemanz, mentor espiritual, empreende grandes viagens pelo país para conscientizar os atlantes sobre a necessidade de abandonarem sua pátria em direção a um novo lar antes que seja tarde.

A desconfiança esparrama-se e prepara-se para dar o bote. Quem se salvará?



Curiosidade:

Desde que Platão mencionou a Atlântida, cientistas do mundo inteiro dedicam-se ao enigma desse continente desaparecido.

Roselis von Sass descreve os últimos cinquenta anos desse país – uma enorme ilha protegida por íngremes rochedos – com uma exuberante natureza e animais em grande parte hoje extintos, dentre eles os lendários dragões alados. 



Leia Também

Sob a luz do sol

Maio 23, 2019

Leia Mais
O visível e o invisível

Maio 21, 2019

"A Terra e as miríades de astros são de espécie grosso-material. Por isso, podemos, nós seres humanos, ver com os órgãos sensoriais de nossos corpos de matéria grosseira tudo o que ocorre neste mundo. Os enteais, que outrora fizeram surgir a Terra numa beleza paradisíaca, são de uma matéria grosseira mais fina. Por essa razão não podemos vê-los, com exceção de poucas pessoas, pessoas essas, aliás, encontradas cada vez em menor número."

 
Roselis von Sass, O Nascimento da Terra

Leia Mais
Livre-arbítrio

Maio 16, 2019

 Diante dos diferentes caminhos, muitos se questionam: O que nos impulsiona a enveredar por uma rota específica? Existe o livre-arbítrio? Qual a sua relevância, se consideradas variáveis como a genética, o destino, o carma e, ainda, os experimentos da neurociência? Pressionado adicionalmente pelo materialismo, pelas artimanhas de todo tipo de marketing e pelas avançadas tecnologias que pretendem determinar impulsos de compra e opiniões, o livre-arbítrio parece bem tolhido no tempo presente. Contudo, por baixo das camadas materiais, há algo que pulsa no âmago de cada ser humano.

Leia Mais

Cadastre-se