A chegada

outubro 06, 2012


Daniela Schmitz Wortmeyer 



Antes mesmo de ser anunciada, ela já era intensamente pressentida e esperada. Havia algo no movimento dos pássaros, um clima de expectativa, o ar parado. Nas árvores foi preparada a recepção com exuberantes floradas: primeiro os ipês roxos e cor-de-rosa, depois os amarelos e os brancos, patas-de-vaca com suas quase-orquídeas perfumadas, buganvílias multicoloridas e jacarandás-mimosos com seu tom lilás solene... Então veio a chuva, no momento perfeito: uma cachoeira decidida, penetrando na terra seca e nos corações expectantes. Brados de alegria foram ouvidos ao começar o banho de purificação. Naquela noite, eu também esperava pela mudança que viria. Tudo conspirou para uma preparação em grande estilo: haveria um concerto de música barroca, com solos profundos de violoncelo sucedidos por luminosas sonatas acompanhadas por um cravo do século XVIII e um pungente violino... Era sem dúvida uma noite de gala. Na manhã seguinte, passarinhos em festa: toda a Natureza respirava purificada o ar fresco da boa nova. E quando ela chegou, tive vontade de lançar sementes na terra úmida em sagrada devoção. Quis celebrar aquela chegada: por alguns instantes ansiei me juntar à tua majestosa comitiva, Primavera! Quis oferecer-te meu humilde e inseguro gesto por novas flores. Qual criança com olhos brilhantes erguidos para o espetáculo, sonhei entrar na dança e participar do poderoso fluxo de renovação da vida!

Foto: Charles Wortmeyer


Leia Também

Hora do universo

outubro 27, 2020

Ampulheta na areia

“‘Sublime e misteriosa Esfinge, dize-me: Qual é a hora que o relógio do Universo anuncia?’

Roselis von Sass, Sabá, o País das Mil Fragrâncias

Leia Mais
Linha bem traçada

outubro 24, 2020

Caminho subindo para o alto de uma montanha
 
Envolto em expectativa e, às vezes, misticismo, o destino parece conter para alguns o segredo, o intocável e a chave do amanhã. Trilhando outras estradas de questionamento: seria o destino antítese ou irmão do acaso? Liberdade, livre-arbítrio e destino seriam compatíveis? 
Leia Mais
Fragilidade

outubro 22, 2020

Terra caindo de uma mão com por do sol ao fundo

“— Talvez o senhor tenha visto o espírito dele! disse Tobias cansado.
— Espírito? Markus tentou falar o mais indiferentemente possível. Percebe-se que o senhor já vive há muito tempo na África! Nenhuma pessoa civilizada crê mais em espíritos!
— O senhor e os da sua espécie têm razão! observou Tobias, agora impaciente. O mundo civilizado acredita apenas na sua própria grandeza! Por isso se tornou tão frágil, que vive em constante medo de ruir.”

Roselis von Sass, África e seus Mistérios

Leia Mais