A chegada

outubro 06, 2012


Daniela Schmitz Wortmeyer 



Antes mesmo de ser anunciada, ela já era intensamente pressentida e esperada. Havia algo no movimento dos pássaros, um clima de expectativa, o ar parado. Nas árvores foi preparada a recepção com exuberantes floradas: primeiro os ipês roxos e cor-de-rosa, depois os amarelos e os brancos, patas-de-vaca com suas quase-orquídeas perfumadas, buganvílias multicoloridas e jacarandás-mimosos com seu tom lilás solene... Então veio a chuva, no momento perfeito: uma cachoeira decidida, penetrando na terra seca e nos corações expectantes. Brados de alegria foram ouvidos ao começar o banho de purificação. Naquela noite, eu também esperava pela mudança que viria. Tudo conspirou para uma preparação em grande estilo: haveria um concerto de música barroca, com solos profundos de violoncelo sucedidos por luminosas sonatas acompanhadas por um cravo do século XVIII e um pungente violino... Era sem dúvida uma noite de gala. Na manhã seguinte, passarinhos em festa: toda a Natureza respirava purificada o ar fresco da boa nova. E quando ela chegou, tive vontade de lançar sementes na terra úmida em sagrada devoção. Quis celebrar aquela chegada: por alguns instantes ansiei me juntar à tua majestosa comitiva, Primavera! Quis oferecer-te meu humilde e inseguro gesto por novas flores. Qual criança com olhos brilhantes erguidos para o espetáculo, sonhei entrar na dança e participar do poderoso fluxo de renovação da vida!

Foto: Charles Wortmeyer


Leia Também

Lições de aranha

janeiro 16, 2021

Gotas de orvalho formando uma teia

A pequena aranha tece, com zelo de artesã, ponto por ponto sua teia. Lança os fios translúcidos de um extremo a outro, trabalhando por horas e horas até obter um magnífico resultado. Sob a luz do sol, vislumbra-se a perfeição da obra desse minúsculo ser. Mas eis que virá o vento, a chuva ou um passante desatento, para pôr fim à completude da obra, destruindo a teia. Como reagirá, então, a aranha?

Leia Mais
Reconhecimentos

janeiro 14, 2021

Beija flor pairando no ar

“Um verdadeiro sábio haure forças do sofrimento e das decepções, que o conduzem a novos e mais elevados reconhecimentos. Nunca se deixará deprimir tanto, que venha a cair.”

Roselis von Sass, Sabá, o País das Mil Fragrâncias
Leia Mais
Forças conhecidas

janeiro 12, 2021

Imagem de ondas fortes


“Desde pequenos os incas estavam familiarizados com as forças da natureza. Sabiam sempre quais os espíritos da natureza que trabalhavam, quando algo acontecia nos reinos da natureza.”

Roselis von Sass, A Verdade sobre os Incas

Leia Mais