Luminosa e radiante

outubro 08, 2020

Imagem de duas meninas de vestido em campo dourado com montanha ao fundo


“Um dos egípcios havia notado que as meninas estavam esperando impacientemente para poderem conversar. Sorrindo, colocou seu espetinho na placa de cerâmica e pegou o pano úmido em sinal de que tinha terminado de comer. Agora ele podia conversar com as duas crianças.

— Portais ambas os mesmos amuletos, disse ele, após colocar de lado o pano úmido. E até onde posso ver, também as inscrições são idênticas.

— As inscrições também são iguais, disse Halide solicitamente. Nós as lemos muitas vezes. Queres ouvir o que elas significam? Quando ele inclinou a cabeça concordando, ela tomou o amuleto na mão e leu:

— ‘Luminosa e radiante seja a vestimenta de teu espírito!’

— Uma sentença muito instrutiva, disse Petosiris, que nesse ínterim também acabara de comer.

— A vestimenta significa ‘alma’ – e a alma sempre terá de ser luminosa e radiante, acrescentou Biltis, esclarecendo.

Os egípcios olharam-na com interesse. O que sabiam essas crianças sobre alma?…”

Roselis von Sass, Sabá, o País das Mil Fragrâncias

Veja aqui o vídeo sobre a obra

Conheça mais histórias de Sabá



Leia Também

Força

janeiro 21, 2021

Postal com ilustrações de cocos e frase: "(...) a força advém unicamente do espírito! O vigor, do corpo!" - Na Luz da Verdade – Mensagem do Graal - Abdruschin


Abdruschin, Na Luz da Verdade – Mensagem do Graal

Leia Mais
Confiança e convicção

janeiro 19, 2021

Interior de cânions típicos do deserto

 
"'Moisés escuta: o povo te acreditará, se tua própria fé for invencível’, disse o príncipe serenamente. ‘Dúvidas e medo são acompanhantes perigosos. Põe, em lugar deles, a confiança e a convicção, então terás aliados poderosos! Quem tiver de cumprir uma missão, a esse abrem-se concomitantemente as fontes da força e do saber!'"

Roselis von Sass, Sabá, o País das Mil Fragrâncias

Leia Mais
Lições de aranha

janeiro 16, 2021

Gotas de orvalho formando uma teia

A pequena aranha tece, com zelo de artesã, ponto por ponto sua teia. Lança os fios translúcidos de um extremo a outro, trabalhando por horas e horas até obter um magnífico resultado. Sob a luz do sol, vislumbra-se a perfeição da obra desse minúsculo ser. Mas eis que virá o vento, a chuva ou um passante desatento, para pôr fim à completude da obra, destruindo a teia. Como reagirá, então, a aranha?

Leia Mais