Coletânea de percepções

março 17, 2020

Desenho de flor em grafite preto e branco com joaninha em destaque, na cor azul clara e preta, com asas semi abertas.

Entre dezembro e fevereiro, a magnólia-amarela (Michelia champaca) anuncia o verão. O anúncio acontece pelo perfume, que invade o ar, e nos faz procurar flores. Onde estão? Que cor têm? O evento faz pensar em como seria uma vida sem calendário, nem relógio, orientada pela narrativa que os nossos sentidos são capazes de criar, ao acolher as pistas fornecidas pela natureza. Já foi assim um dia. Hoje temos muitos recursos, mas às vezes falta a presença, o olhar atento e a sabedoria. Quantos conhecimentos originais e enriquecedores poderíamos coletar com base nessas percepções?

“Antes de os alunos serem admitidos, eles tinham primeiramente de aprimorar a própria capacidade de observação. Precisavam, através do brilho das neblinas que pairavam sobre as águas, bem como das cores e das composições das nuvens, das correntezas do ar e ainda do comportamento dos pássaros e insetos, chegar a ponto de poderem prever as vindouras modificações climáticas. Acrescentavam-se a essas observações visuais as percepções do olfato.”

Roselis von Sass, A Desconhecida Babilônia


Leia Também

Ligações de amor

junho 11, 2024


“J
á sabia quais os pensamentos e imaginações que a coluna de fumaça ascendente havia despertado nele. E não era de se esperar outra coisa, pois o casal real estava ligado entre si em amor. Por isso um sempre sabia tudo do outro.”

Roselis von Sass, Sabá, o País das mil Fragrâncias

Leia Mais
Tempo

junho 08, 2024


Ora ele parece curto, ora comprido. Mas nunca encolhe nem estica. O tempo fica parado, e somos nós que nos movemos. O tempo das obrigações nos pressiona do lado de fora, enquanto por dentro funcionamos em outro ritmo.

Leia Mais
Construir o novo

junho 06, 2024


Para construir o novo... clique para assistir.
Leia Mais