Florestas improváveis

julho 23, 2022

Ilustração de folhas

Da varanda do primeiro andar, vejo a copa do chapéu-de-sol(Terminalia catappa), árvore que deve ter vindo da Índia ou Nova Guiné para povoar boa parte do litoral brasileiro.

Sua copa carrega uma floresta de erva-de-passarinho, planta parasita que ataca árvores tropicais, sugando sua seiva e podendo levá-las à morte. 

As copas das árvores carregam muitas coisas. No quintal de casa, enraizadas aos galhos altos do antigo abacateiro moram pequenas bromélias, algumas orquídeas, um tipo de samambaia. Plantio de aves e insetos.

Ao visitar um pau-brasil de 600 anos descoberto na Bahia, o botânico Ricardo Cardim disse que precisaria olhar a copa da árvore com a ajuda de umdrone porque é bem provável que aquela copa abrigue mais espécies do que uma floresta europeia. 

Afinal, a árvore centenária interagiu com a biodiversidade da Mata Atlântica, acolhendo sementes dispersadas e ventadas até sua copa, desde que a floresta ainda era floresta preservada, antes da chegada do europeu. 

Pássaros e insetos plantam floresta onde tiver chão e para eles o chão é mais amplo do que aquele onde pisamos. Dispersores de sementes, eles não escolhem território, seguem insistentemente semeando. Até capô de carro eles tentam fertilizar.

E as copas das árvores podem ser território fértil, solo acolhedor para a semeadura. As cabeças das pessoas também. Muitas semeaduras são sempre de novo abrigadas e acolhidas nas nossas mentes. Podemos nutrir semente benfazeja ou também erva-de-passarinho. Assim, cresce em pensamento uma floresta nativa de diversidade com efeitos grandiosos ou uma floresta parasita que drena nossa energia e ainda prolifera, podendo multiplicar outras sementes-parasitas ao vento.

Vejo uma azaleia pequena e noto que ela já é abrigo de uma bromélia que chegou pelas asas de alguém. A bromélia está crescendo com vigor, colaborando para enfeitar o corpo da azaleia, contribuindo com a biodiversidade. Quem sabe, quando ela crescer mais um pouco, poderá guardar água da chuva e se transformar em bebedouro de pássaros.

“Os muitos pensamentos turvam a visão, pois são como as densas névoas cinzentas que se levantam dos rios…”

Roselis von Sass,  A Grande Pirâmide Revela seu Segredo


Leia Também

Ligações de amor

junho 11, 2024


“J
á sabia quais os pensamentos e imaginações que a coluna de fumaça ascendente havia despertado nele. E não era de se esperar outra coisa, pois o casal real estava ligado entre si em amor. Por isso um sempre sabia tudo do outro.”

Roselis von Sass, Sabá, o País das mil Fragrâncias

Leia Mais
Tempo

junho 08, 2024


Ora ele parece curto, ora comprido. Mas nunca encolhe nem estica. O tempo fica parado, e somos nós que nos movemos. O tempo das obrigações nos pressiona do lado de fora, enquanto por dentro funcionamos em outro ritmo.

Leia Mais
Construir o novo

junho 06, 2024


Para construir o novo... clique para assistir.
Leia Mais