Era uma vez uma flor

março 07, 2017

No grande aquário com vidros arredondados, que ia quase até o teto do restaurante, não havia peixes extraordinários. Havia apenas alguns peixes um tanto pequenos para o tamanho do aquário, talvez peixes de 8 a 11 centímetros de comprimento em tons de marrom e alguns daqueles listrados em amarelo e preto, lembrando o Nemo. Entre os pequenos, nadavam dois peixes pretos, um pouco mais corpulentos, de uns 18 centímetros.

 

No fundo do aquário havia pedrinhas pequenas granuladas, alguns pequenos troncos decorativos e… plantas de plástico. Uma delas tinha uma haste verde de uns 8 centímetros de altura com flores em tom pink de uns 4 centímetros de diâmetro.

 

Enquanto eu devorava minha feijoada, olhei para o lado. Um dos peixes pequenos tentava, sem sucesso e por consecutivas vezes, devorar a flor pink de plástico.

 

Fiquei pensando em tudo o que parece, mas não é, como aquela comida colorida, que lembrava as cores incríveis dos corais dos mares, mas não passava de um engodo, uma ilusão. Senti-me solidária e, em parte, parecida com o peixe.

 

Quantas vezes não me vi – e ainda me vejo – consumindo uma porção de coisas ilusórias e de plástico? Desde as comidas bonitas e cheias de açúcar refinado ou gordura hidrogenada, que a longo prazo matam em vez de alimentar, até ideias e necessidades fabricadas e – bem recebidas por uma maioria –, que não combinavam com o que eu queria ser.

 

Acho que o dono do restaurante quis alegrar os clientes, colocando o aquário. Mas penso que ele também caiu na armadilha das ilusões de plástico. Parece alegria, mas não é.

 

 
Roselis von Sass

 

Fios do Destino Determinam a Vida Humana


Leia Também

Capacidade de Compreensão do cérebro

junho 28, 2022

Imagem de espaço sideral


Quão restrita e limitada é, contudo, a capacidade de compreensão do cérebro, que tem de continuar ligado firmemente ao espaço e ao tempo. Já a eternidade e o sentido do infinito não consegue um cérebro humano abranger.

Abdruschin, Na Luz da Verdade - Mensagem do Graal

Leia Mais
Fogos juninos

junho 25, 2022

Imagem de fogueira


“(…) os festejos juninos, em que eram acesos os ‘fogos pagãos’ em homenagem ao Sol, foram associados com o aniversário de João Batista, festejado pelos cristãos no dia vinte e quatro de junho. E os seres humanos que com o decorrer do tempo se converteram ao cristianismo, denominaram apenas de ‘fogos juninos’ as fogueiras em reverência ao Sol, que antes eram acesas para agradecer a Apolo, e que eram chamadas de ‘fogos de solstício’.” 

Roselis von Sass, O Livro do Juízo Final 

Leia Mais
Cooparticipação

junho 21, 2022

Postal com frase da obra Na Luz da Verdade, Mensagem do Graal de Abdruschin


Abdruschin, Na Luz da Verdade – Mensagem do Graal

Leia Mais