Pela liberdade

setembro 10, 2020

Imagem da Arquiduquesa Leopoldina da Áustria, séc. XVIII, de Josef Kreutzinger, óleo sobre tela, Schönbrunn, Áustria.


“Pensativa, Leopoldina encarou os dois médicos, ao terminarem os seus comentários, inquirindo se havia muita gente no Brasil desejando a liberdade. Com certo receio os dois entreolharam-se e acenaram com a cabeça afirmativamente, acrescentando que o número desses tais já era muito maior do que se poderia supor.

— Isso é muito natural, comentou com firmeza dona Leopoldina, todo país tem o direito de ser livre. Os dois médicos acenaram de novo com a cabeça, em sinal de aprovação. Mas não pretendiam dizer mais nada… ‘Que poderia uma princesa de Habsburgo compreender do imenso desejo de liberdade?’

Não tardou muito, porém, e logo se evidenciou a ambos que ela efetivamente era a favor da libertação do Brasil de Portugal. Mais tarde, quando dona Leopoldina se empenhou de todo pelo movimento da Independência do Brasil, os dois médicos rememoravam a conversa que haviam tido com ela, a bordo.”

Roselis von Sass, Revelações Inéditas da História do Brasil

Leia o livrete

*Crédito da imagem: Arquiduquesa Leopoldina da Áustria, séc. XVIII, Josef Kreutzinger, óleo sobre tela, Schönbrunn, Áustria.



Leia Também

Reconhecimentos

janeiro 14, 2021

Beija flor pairando no ar

“Um verdadeiro sábio haure forças do sofrimento e das decepções, que o conduzem a novos e mais elevados reconhecimentos. Nunca se deixará deprimir tanto, que venha a cair.”

Roselis von Sass, Sabá, o País das Mil Fragrâncias
Leia Mais
Forças conhecidas

janeiro 12, 2021

Imagem de ondas fortes


“Desde pequenos os incas estavam familiarizados com as forças da natureza. Sabiam sempre quais os espíritos da natureza que trabalhavam, quando algo acontecia nos reinos da natureza.”

Roselis von Sass, A Verdade sobre os Incas

Leia Mais
Flores que o vento leva

janeiro 09, 2021

Foto do desenho de um esqueleto de uma folha seca, formato de estrela sobre papel branco com a folha modelo ao lado.
O demasiado apego a aspectos mutáveis da existência – como pessoas, bens, lugares, rotinas e posições sociais – decorre da ilusão de, com isso, evitar o desassossego e, quem sabe, o sofrimento decorrente da transformação.
Leia Mais