O grande pode estar no pequeno

janeiro 31, 2018

imagem de três flores brancas

 

Sibélia Zanon 

 

Às vezes, no meio do gramado, nasce uma miniflor. Uma margarida em tons amarelos com minipistilos. Seu pólen atrai pequenas abelhas e insetos. É como se ela tivesse sido esculpida com o mesmo apreço e a mesma precisão dispensada às maiores obras da natureza. Minuciosamente.

Ao olhar de perto, quem ousaria dizer que uma flor grande tem valor diferente?

Se pensarmos sobre as atividades desenvolvidas pelas pessoas, sejam trabalhos pequenos ou grandes, o que é grandioso?

Quando um trabalho é cuidado do início ao fim e entregue de maneira limpa, quando os prazos são cumpridos, quando o que é prometido é realizado, quando o capricho aparece no acabamento, quando o atendimento é cuidadoso e gentil, quando não há oportunismo, mas há oportunidade de florescer… transparece algo de grande!

Cada pequena ação pode estar impregnada de grandiosidade, quando guiada por um desejo do bem.

“Cada pessoa pode e deve aspirar por ideais, seja qual for a atividade que desenvolve aqui na Terra. Pode com isso enobrecer qualquer espécie de trabalho, dando-lhe finalidades amplas.”
Abdruschin


Leia Também

Humildade e Modéstia

julho 24, 2021

Foto de concha de circular em em destaque em leito de musgo verde e fresco, rodeada de flores lilases de diversos tamanhos.

“Humildade e modéstia
essas duas virtudes viviam nos corações de todos os seres humanos. Eram filhos do Sol que viviam na Terra sob o resplendor da pureza.

Roselis von Sass, Os Primeiros Seres Humanos
Leia Mais
Cultivar

julho 20, 2021

Quadro pintado em aquarela de vasos com flores cor de rosa


Quando o cenário parece desolador, quando o mundo externo silencia e apaga suas luzes 
artificiais, o mundo de dentro ganha voz e espaço.

Leia Mais
Nascimento e Morte

julho 17, 2021

Flores perdendo as pétalas

“O fenômeno da morte em si é, no entanto, indolor para qualquer indivíduo, independentemente da ‘causa mortis’. Da mesma forma que não sentiu o nascimento, a criatura também não sentirá a morte. O momento da alma desprender-se do corpo físico, o morrer, ocorre-lhe completamente inconsciente. Nada mais é senão o nascimento num mundo onde deverá viver depois o ‘eu’ propriamente dito do ser humano terreno.”

Roselis von Sass, Fios do Destino Determinam a Vida Humana
Leia Mais