Espírito, corpo e alma

fevereiro 18, 2020

Imagem do texto "Espírito, corpo e alma" - Livro "Sabá, o País das Mil Fragrâncias" de Roselis von Sass

“Biltis parecia ter esquecido Haran. Ela sentara novamente calada em sua almofada e olhava cismando à sua frente. Bildad tirara de uma prateleira uma estátua artisticamente entalhada em madeira e decorada com pedras preciosas, colocando-a diante de si, na mesa.

— Imaginai agora que esta estátua enfeitada com pedras preciosas fosse um espírito humano. O que iríeis dizer, se eu vestisse esse espírito com uma camisa, envolvendo-o completamente? Bildad olhou sorrindo para os alunos, aguardando.

— Espírito com camisa, disse Itaí, algo timidamente. Bildad esperou até que a geral explosão de alegria, provocada pelas palavras de Itaí, cessasse, depois falou:

— Espírito com alma! O que diríeis se eu colocasse um manto grosso e consistente sobre tal camisa?

— Espírito com corpo, disse Haran algo duvidoso.

— Espírito com alma e corpo, disse Biltis com firmeza. Haran acenou afirmativamente. Ele havia esquecido a camisa, a alma. Bildad elogiou Haran e Biltis, buscando a seguir três copos de ouro da sala contígua. Colocou primeiramente os copos lado a lado na mesa, de modo que todos pudessem vê- los; a seguir, colocou-os um dentro do outro.

— Agora podeis ver apenas um copo. Aliás, o mais externo. Suponhamos que esse copo fosse o corpo terreno. Se esse corpo terreno morrer, então aparece o copo do meio, a alma. E se eu tirar agora também o copo do meio – pois a alma morre igualmente, quando o tempo para isso tiver chegado – então o espírito está livre novamente. Sem os invólucros constituídos pela alma e o corpo terreno, ele não tem mais nenhuma ligação com os mundos perecíveis da matéria.

Bildad recolocou os copos um dentro do outro e disse finalizando:
— Cada um de nós é uma pequena trindade! Se cada parte dessa trindade cumprir seu dever em sentido correto, então sombra nenhuma turvará nossa harmonia com o céu! Depois dessas palavras, virou-se novamente para o papiro, pedindo a Halide que o lesse.”

Roselis von Sass, Sabá, o País das Mil Fragrâncias

Veja aqui o vídeo sobre a obra



Leia Também

Reconhecimento

maio 30, 2020

vista de horizonte ao fim de tarde, com céu rajado de cores, em espelhamento em lago raso ressaltando a vegetação aquática.

“Quer digas: Submeto-me voluntariamente às leis vigentes da natureza, porque elas são em meu benefício, ou quer digas: Submeto-me à vontade de Deus, que se revela nas leis da natureza ou na força inconcebível que impulsiona as leis da natureza... ocorre alguma diferença na atuação delas? A força aí está e tu a reconheces,
tensde reconhecê-la, sim, já que não te resta alternativa, tão logo reflitas um pouco... e com isso reconheces teu Deus, o Criador!”

Abdruschin, Na Luz da Verdade, Mensagem do Graal
Leia Mais
Subir cada vez mais

maio 28, 2020

“Pertenceis a esta Criação como uma parte dela, deveis, por conseguinte, vibrar com ela, atuar nela, amadurecer aprendendo dela, e assim, colhendo reconhecimentos, subir cada vez mais, dum degrau para outro, seguindo na irradiação, a fim de enobrecer tudo aquilo que entre em contato convosco no vosso caminho.” 
Abdruschin, Na Luz da Verdade – Mensagem do Graal
Leia Mais
ERA UMA VEZ EM SABÁ - TERCEIRA HISTÓRIA

maio 26, 2020

imagem de pessoa tocando instrumento musical de corda


Roselis von Sass - Sabá, o País das Mil Fragrâncias



Leia Mais