Conchas

maio 09, 2019

Quando as crianças estavam quietas e sentadas em suas almofadas, Bildad começou a aula. Ele chamou Jeiel, o filho do administrador de incenso do reino, para que começasse com a leitura.
Jeiel começou inseguro e gaguejando:
— A pérola cresce numa concha... Depois dessas poucas palavras, o menino abaixou envergonhado a cabeça, calando-se.
— Continua a ler tu, Orpa, disse Bildad, ao notar que Jeiel havia esquecido o sentido dos caracteres seguintes. Logo depois ele indicou com um bastão fino para os caracteres, e Orpa começou:
— A pérola forma-se dos minúsculos bichinhos de pérolas que se introduzem naquelas conchas, onde existem caminhas prontas para eles...
— Muito bem, Orpa, disse Bildad elogiando. Agora Jiskia pode continuar a ler. Orpa olhava orgulhosa em redor. Não esquecera nada. — A concha que preparou uma caminha para os bichinhos de pérolas é denominada ‘pérola-mãe’. Ela está envolta por um vislumbre vermelho, razão pela qual os minúsculos bichinhos podem facilmente encontrá-la.
Bildad elogiou também Jiskia; ela era filha do primeiro conselheiro real. Depois ele disse a Sebna, o filho do administrador da prataria, que prosseguisse a leitura.
— A caminha do bichinho de pérola tem a aparência de uma gota de água, começou Sebna lentamente. Dentro dessa gota de água o bichinho adormece, transformando-se numa pérola. Nos seres humanos, bem como nas plantas, o processo é semelhante. Os bichinhos de semente que chegam na barriga de uma mulher transformam-se em crianças. Existem bichinhos de semente que são impelidos a entrar nas flores das árvores frutíferas se quisermos ter frutas.
Bildad baixou seu bastão, convidando Biltis a continuar a leitura. Sebna sentou-se somente contra vontade. Ele era o melhor leitor da classe e de bom grado teria mostrado sua capacidade.
— A pérola é o símbolo da maternidade, começou Biltis fluentemente. Ela é, ao mesmo tempo, o símbolo da deusa da pureza, ‘Astarte’. Cada futura mãe deveria ser tão pura em sua alma, que o bichinho de semente, abrigado e envolto pelo brilho de Astarte, pudesse transformar-se numa criança. Cada futura mãe é como uma concha que encerra uma jóia preciosa.

Sabá, o País das Mil Fragrâncias

 

 

 



Leia Também

Pingo de gente

setembro 26, 2020

Mão segurando uma pequena flor branca
 
"Pingou, o pingo da chuva, do chuveiro e do choro. A menina da nossa história não sabia explicar o motivo certo da sua dor: existia uma dor de solidão no coração, mas ela disse que a dor era no ouvido. Foi então que alguém pôde secar o seu pingo de tristeza. A menina encontrou uma professora que entendia dessas dores. Ganhou um remédio de mentirinha, foi embalada num abraço e sarou. Grande essa arte de curar dores que os remédios não conhecem, não é mesmo?”

Sibélia Zanon, Espiando pela Fresta
Leia Mais
Alma que chora

setembro 24, 2020

Botão de rosa vermelha na chuva
 
— A alma, Muno, é aquilo que dia e noite chora dentro de ti, porque tu a deixas faminta, e a maltratas. A alma é a melhor porção do nosso ‘eu’, que vem do Alto e não descansa enquanto nós não a reconduzimos outra vez para lá. Se não a tratamos assim, chora, então, nossa alma, como chora, agora, a tua, Muno.”

Buddha, Coleção o Mundo do Graal
Leia Mais
Observar

setembro 22, 2020

Gota de água encima de uma pétala de flor

“A pessoa que olhar com atenção ao seu redor, poderá muitas vezes observar exatamente a imagem básica de todos os fenômenos da Criação em seu ambiente mais próximo, já que nas coisas mínimas sempre também se refletem as máximas.”

Abdruschin, Na Luz da Verdade – Mensagem do Graal
Leia Mais